terça-feira, 11 de abril de 2017

Eu me tenho

Eu tenho uma casa nova, um amor doce que se renovou, um trabalho que me instiga, me desafia. Tenho amigos que se mostraram incansáveis nos últimos meses, abrindo meu coração, chorando junto, curando cada pedacinho que eu machuquei. E tive a mim mesma. Nos piores momentos, na saudade mais doída, nos dias de desespero, nas horas em que eu não me conformava. Eu me tinha. Tive que achar caminhos, encarar muitos medos, muitos preconceitos, dores novas e antigas. Tive que entender que minha vida não seria mais a mesma e que preciso achar espaço para essa pessoa nova. Que o que eu tinha sentido e vivido ficaria comigo para sempre. O resto, não importa. Eu estava lá, eu vi e vivi tudo, eu dei tudo de mim. 
Novas músicas, novos sonhos, novos hábitos. Parar de lutar contra, entregar, deixar ir. 
Desistir muitas vezes é um ato de amor. 

quinta-feira, 16 de março de 2017

A doçura

Silvia se sentia diferente. Acordou, vestiu a roupa mais bonita e sorriu. Era um dia importante, uma das muitas lutas que ela ainda travaria. Escreveu para Floriano, era importante a presença dele ali, que como ela, ainda acreditava. Lembrou dele na hora, com doçura.Floriano foi, mas não era o mesmo homem de antes, nem Silvia a mesma mulher, apesar do cenário ser o mesmo. Era bom estar perto dele, alguém muito amado por ela, muito precioso.Gostava da conversa, da presença.Uma parte dela pertencia aquela história. Mas agora Silvia sabia que havia para ele um lugar especial em seu coração, mas não mais como protagonista. Silvia disse que o amou e o amava muito ainda, que tinha sofrido e aprendido. Que o queria bem, feliz. Silvia estava livre, orgulhosa, forte.
Seus diários falavam daquele amor avassalador, transformador, delicioso e sofrido.Mas falavam também do retorno ao Angico, do amor doce e calmo de Jango, das novas flores, das conquistas.
No fundo, Silvia se sentia sortuda. Havia algo de muito sagrado em amar, em se entregar, em querer tão bem alguém. 
Silvia estava feliz. 

"Quem pretende revogar a lei do coração
Quem ousaria
Dessas vozes duvidar
Deixa a sua natureza se manifestar"

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

"Procurou um silêncio limpo como uma folha muito limpa onde pudesse escrever uma frase mais digna e disse, um dia essa saudade vai ser benigna. A lembrança da sua esposa vai trazer-lhe um sorriso aos lábios porque é isso que a saudade faz, constrói uma memória que nós nos orgulhamos de guardar, como um troféu de vida. Um dia, senhor Silva, a sua esposa vai ser uma memória que já não dói e que lhe traz apenas felicidade. A felicidade consigo de ter partilhado um amor incrível que não pode mais fazê-lo sofrer, apenas levá-lo a glória de ter vivido, de o ter merecido. "

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Um laço forte, um nó

Sem querer te perdi tentando te encontrar
Por te amar demais sofri, amor
Me senti traído e traidor
Fui cruel sem saber que entre o bem e o mal
Deus criou um laço forte, um nó
E quem viverá um lado só ?
A paixão veio assim afluente sem fim
Rio que não deságua
Aprendi com a dor nada mais é o amor
Que o encontro das águas
Esse amor
Hoje vai pra nunca mais voltar
Como faz o velho pescador
Quando sabe que é a vez do mar
Qual de nós
Foi buscar o que já viu partir,
Quis gritar, mas segurou a voz,
Quis chorar, mas conseguiu sorrir ?
Quem eu sou
Pra querer
Entender O amor?